ACIAP e Sivapar dizem que calendário agradou comerciantes e comerciários

Publicado em 15 de setembro de 2020

Presidentes informam que não são contra aumentos
salariais, mas contra imposição através de acordo coletivo

Os presidentes da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (ACIAP), Maurício Gehlen, e do Sindicato do Comércio Varejista de Paranavaí (Sivapar), Edivaldo Cavalcanti, avaliam que o calendário comercial elaborado pelos lojistas, na semana passada, atendeu a categoria e os comerciários. “Recebi telefonemas de comerciários dizendo que o calendário ficou até melhor que o proposto pelo sindicato da categoria”, revelou Gehlen, que não pôde participar da assembleia e se reuniu posteriormente com Cavalcanti, para uma avaliação.Os líderes classistas concordaram que o calendário é fruto de conversações e negociações. “Orientamos os associados da ACIAP a ouvir sugestões de seus colaboradores para que o calendário contemplasse também as principais reivindicações dos comerciários”, disse o gerente da ACIAP, Carlos Henrique (Kaká) Scarabelli, que também participou do encontro.

Além disso, o calendário sugerido e colocado em discussão sofreu alterações. “Isto mostrou a forma democrática como foi conduzido à assembleia”, comentou presidente do Sivapar, que agradeceu a ACIAP, que, “mesmo sendo vítima de um protesto injusto, não esmoreceu e ajudou a construir o calendário”, que vai uniformizar as datas e horários em que o comércio de Paranavaí vai funcionar até maio de 2021. “A polêmica está encerrada”, sentenciou ele.

AUMENTO SALARIAL – Comerciantes e comerciários estão sem acordo coletivo desde 1º de junho. De lá para cá não houve acordo entre o Sivapar e o Sindicato dos Comerciários (Sindoscom), que começou as negociações pedindo 8% de reajuste salarial. Desde o início, a classe patronal tem sido contra o reajuste, considerando os “graves efeitos econômicos” causados pela pandemia do novo coronavírus, a Covid-19.

A ACIAP tentou intermediar a negociação, mas não houve acordo. E como faz todos os anos, apresentou uma sugestão de calendário que só o Sivapar e o Sindoscom têm legitimidade paras referendar. “Todos os anos, a ACIAP é chamada a dar uma sugestão E foi o que fizemos”, explicou Scarabelli. Foi este calendário sugestivo que motivou om protesto dos comerciários em frente a ACIAP.

“A proposta do outro Sindicato era simplesmente trabalhar menos e ganhar mais, desconsiderando que o momento é outro, que a pandemia teve consequências e que a prioridade é garantir empregos”, contou Cavacanti.

Sem acordo, o Sivapar decidiu fazer o calendário e seguir a legislação federal, garantindo os direitos trabalhistas. E convidou a ACIAP para ajudar na construção deste calendário.

No encontro entre os dois líderes empresariais, Gehlen disse que a ACIAP não é contra, pelo contrário, estimula o aumento salarial. “Até porque é mais dinheiro circulando na economia. O que não podemos impor isso, colocando num acordo coletivo, porque a pandemia teve consequências diferentes aos empresários. Alguns estão fazendo um grande sacrifício para manter não fechar as portas e demitir os funcionários, outros já estão em realidade diferente e eventualmente até pode conceder o reajuste salarial”, disse Gehlen.

“Precisamos agir com inteligência e entender que estamos num momento diferenciado, o que as pessoas chamam de um novo normal. O este novo é diferente de empresa para empresa”, complementou.

Alda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.