Célia Zanata

Publicado em 12 de agosto de 2019

 De que adianta diploma e registro na
OAB se não for para lutar pela justiça?

OAB-Rubi-01“De que me adiantaria um diploma de bacharel em Direito, o registro profissional de advogada, não fosse para lutar pela justiça?”. A afirmação é da presidente da Ordem dos Advogados Brasil – Subsecção de Paranavaí (OAB-Paranavaí) e foi feita na noite do último sábado (10), durante as comemorações dos 45 anos de instalação da subsecção (Jubileu de Rubi).

Quando se refere à Justiça, ela esclarece que é “a definida por Aristóteles, como a disposição da alma a fazer o que é justo, a agir justamente e a desejar o que é justo”. Para ela, também não haveria sentido o diploma e o registro profissional não fosse para “fazer do 4º mandamento do advogado o 1º: ‘Teu dever é lutar pelo Direito, mas no dia em que encontrares em conflito o direito e a justiça, luta pela justiça’”.

OAB-RubiA presidente contou que sua opção pelo Direito foi uma inspiração vinda do pai e que inicialmente pensava em fazer carreira no Ministério Público. “Mas descobri que, queria sim, ser uma operadora do Direito, mas uma advogada compromissada com a dignidade humana, o contraditório e independência à face dos Poderes e dos poderosos”.

Depois de sutilmente lembrar que é a primeira mulher a presidir a Subsecção da OAB de Paranavaí, (“logo eu que, como muitas mulheres da minha idade, tive que enfrentar desconfiança de clientes, a dúvida da competência e por vezes um ambiente hostil nas salas de audiência, predominantemente, à época, masculino”), Zanata destacou que sua gestão acontece “justamente numa época em que a entidade ganha protagonismo nacional em defesa do estado democrático de direito. Nos últimos anos, a Ordem tem se fortalecido, conquistado credibilidade e ganhado o respeito da sociedade. E eu, com muita honra, estou nesta trincheira, na defesa das garantias fundamentais individuais e coletivas”.

HOMENAGENS – O Jantar Dançante do Rubi marcou também as comemorações do Dia do Advogado e do Dia dos Pais. Além disso, a OAB local homenageou nove advogados que têm entre 40 e 58 anos de profissão. Sobre os veteranos, a presidente disse que “Deus me colocou na presidência neste momento histórico da subsecção, para me dar a oportunidade de olhar mais profundamente estes profissionais com 40, 50 e quase 60 anos de profissão para me lembrar que ainda tenho muito a aprender. E me deu estes colegas para ter em quem me espelhar e seguir seus exemplos”.

A saudação aos homenageados – Bernardo Benício de Souza (58 anos de atividades), Miguel Haddad (57 anos), Luciano João Teixeira Xavier (57 anos), Cirley Acácio Egger (51 anos), Paulo Sérgio de Abreu Pierin (48 anos), Oswaldo Maria (44 anos), Ari de Souza Freire (42 anos), José Ortiz (42 anos) e José Antonio Volpi da Silva (40 anos) – foi feita pelo ex-presidente da OAB de Paranavaí e atual conselheiro estadual da Ordem do Paraná, Anderson Donizete dos Santos. Ele também cumprimentou a atual diretoria (chamou todos os diretores e conselheiros à frente para receber uma salva de palmas). Ele enalteceu o trabalho dos advogados veteranos, lembrando que alguns têm mais anos de profissão do que ele de vida.

Além dos advogados veteranos também foram homenageados Sebastião Vinicius Morente de Oliveira, presidente da Advog e um dos incentivadores e organizadores da equipe local que foi campeã este ano do campeonato estadual de futebol suíço na categoria supermaster; Jayme José de Souza, que é “unanimidade no meio comunitário e profissional, sempre abraçando as causas da categoria, tendo sido vice-presidente em duas gestões da Subseção, de 1995 a 2000 e há 30 anos é o Ouvidor Geral”;  e Anderson Donizete dos Santos, presidente da Subsecção por duas gestões e atualmente Conselheiro Estadual da OABPR, representando a Subsecção local a nível estadual até 2021.

Ao agradecer o reconhecimento em nome dos homenageados, Paulo Pierin disse que se sentia duplamente homenageado: primeiro por receber a comenda do Rubi “e em segundo lugar, por falar em nome de tão ilustres e abnegados profissionais, que, ao longo dos anos, se dedicaram à nobre missão de, como escreveu o colega paulista Paulo José da Costa Júnior, em sua obra A Missão do Advogado, da série Explicando o Direito, foram e são ‘o defensor dos direitos ofendidos, o detentor dos segredos invioláveis e o guardião dos interesses sociais’”.

Pierin disse que “devo reconhecer que, não é por coincidência, que a lembrança acontece justamente agora quando nossa subsecção está sendo conduzida, pela primeira vez, por uma mulher, que além de competente, têm uma sensibilidade mais apurada e nos brinda com esta homenagem. Obrigado Dra. Célia e demais diretores pela homenagem. É gratificante saber que, mesmo depois de tanto anos de militância jurídica, não caímos no limbo do esquecimento”.

SURPRESA – O presidente estadual da OAB, Cássio Lisandro Telles enviou um vídeo com uma mensagem aos 45 anos da OAB. E na cerimônia foi representado pelo tesoureiro da Secção, Henrique Gaede, que chegou de surpresa às comemorações. Também estiveram presentes José Carlos Dias Neto, coordenador da Caixa de Assistência dos Advogados do Paraná, representando o presidente Fabiano Augusto Piazza Baracat, e o presidente da Câmara Municipal de Paranavaí, vereador José Galvão.

Em seus pronunciamentos, Gaede, Dias Neto e Galvão destacam a importância da OAB para a democracia, seu papel como agente moderador e a importância do advogado na defesa dos direitos dos cidadãos. Enalteceram ainda a qualidade dos advogados inscritos na OAB de Paranavaí e o grandeza da subsecção em nível estadual. E elogiaram a atuação da presidente Zanatta.

Ao final conselheiros e diretoria da OAB local homenagearam a presidente Célia Zanata, por ser a primeira mulheres a presidir a Subsecção e pela condução dos trabalhos comemorativos ao aniversário da subsecção. Ela recebeu de presente a foto emoldurada que marcou a sua posse e flores.

 

 

Alda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.