Paraná livre de aftosa sem vacina

Publicado em 12 de maio de 2019

Paranavaí abre cronograma de fóruns

O Sindicato Rural de Paranavaí está convidando os pecuarista da cidade e região para participar do Fórum Regional Paraná Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação. A iniciativa tem o apoio da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP), ao qual o Sindicato está filiado e é o representante na região. A promoção é da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar)

Em todo o Estado serão realizados seis fóruns. O primeiro será realizado em Paranavaí, na próxima terça-feira (dia 14), no Centro de Eventos Armando Trindade Fonseca. O evento será das 13 às 16 horas. Depois serão realizados em Cornélio Procópio (da 15), Guarapuava (21), Pato Branco (22), Cascavel (23) e Curitiba (29).

Em cada fórum serão realizadas duas palestras: “Saiba o que muda após a suspensão da vacina contra febre aftosa”, com Rafael Gonçalves Dias, gerente de saúde animal da Adapar, e “Por que o Paraná deve parar de Vacinar?”, com Elias José Zydek, diretor executivo da Frimesa.

Neste mês de maio o Paraná está realizando a última vacinação no seu rebanho bovino. Desta vez estão sendo vacinados o gado até 24 meses. A vacinação vai até o dia 31 de maio. Depois será suspensa a imunização em todo o Paraná.

Presidente do Sindicato Rural de Paranavaí e vice-presidente da FAEP, Ivo Pierin Júnior diz que ao ser reconhecido como área livre de febre aftosa sem vacinação, o Paraná se credencia para buscar novos mercados, alguns países até remuneram melhor, e aumentar a participação do Estado no agronegócio mundial. “Nosso estado fez a lição de casa dentro do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa e por isso pudemos antecipar para este ano a retirada da vacina contra a febre aftosa no Paraná”, sublinha.

Pierin apela para uma grande participação dos pecuaristas neste fórum. “Além dos produtores estarão presentes entidades e lideranças do setor agropecuário, técnicos, estudantes e representantes do poder público. É importante entender esse processo e seguir as orientações. É uma grande conquista e temos que preservá-la”, diz ele.

Alda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.