O diabo ajuda a fazer,

Publicado em 11 de junho de 2018

mas não ajuda a esconder

Logo mais, na sessão de hoje, os vereadores estarão votando, em segunda e última discussão, pela aprovação, ou não, das contas relativas ao exercício de 2008 do Executivo de Paranavaí.
Na semana passada apenas os vereadores Aldrey Azevedo, Lucas Barone e Leônidas Fávero acompanharam o parecer do Tribunal de Contas, que rejeitou aquelas contas do ex-prefeito Maurício Yamakawa.
Pelo que se sabe, os vereadores que votaram pela aprovação das contas “entendem” que só há crime quando há corrupção com desvio de dinheiro público. Entretanto, o parecer do Tribunal de Contas do Estado é claro e indica, sim, que houve um crime, pois a Lei foi violada. Entendem os desembargadores que houve “promoção pessoal, sendo considerada ilegal por afrontar os ditames da Lei 9.504/97”.
Neste caso, os senhores vereadores entenderam, até agora, que não tem nada de mais fazer promoção pessoal com o dinheiro do contribuinte, em época de campanha de reeleição.
Corre, nos bastidores, que dois vereadores que votaram pela aprovação das contas estariam revendo o posicionamento.
O caso é polêmico.
Recebemos inclusive denúncia de que um dos vereadores teria negociado “apoio” à aprovação das contas em troca de um cargo, na Sanepar, para um parente.
Se as contas forem aprovadas, o parente certamente será empossado e então a identidade do vereador será obviamente revelada. Ao final um dia tudo vem à tona. “O diabo ajuda a fazer, mas não ajuda a esconder”.

Alda

11 comentários sobre “O diabo ajuda a fazer,

  1. BOA TARDE CARO AMIGO TATURANA. PORQUE A RAZÃO DE TANTO ALARDE, POIS O EX PREFEITO ANTONIO TERUO KATO, TAMBEM TEVE SUAS CONTAS REPROVADAS PELO TC-PR E APROVADAS PELA CAMARA DE VEREADORES EM SESSÃO JÁ OCORRIDA, SEM TUMULTO ALGUM.

    GRANDE ABRAÇO
    VALDIR CIPRIANO

    • Caro Valdir não generalize quanto a Câmara. fale o ano desse julgamento bem como os vereadores que faziam parte da Casa de Leis.da forma como se manifesta deixa a entender que isso ocorreu há pouco tempo. abraço Aldrey Azevedo

    • Sr. VALDIR, voce poderia nos informar os nomes dos vereadores que aprovaram as contas do referido prefeito, a população gostaria de rever os nomes.

  2. Quem sabe me dizer quem era o Secretario da Fazenda na administraçao do Sr.YAMAKAWA? nao me recordo da pessoa
    que cuidava das finanças… alguém poderia me informar????

  3. Nesse país o contribuinte é constantemente cobrado para seguir a lei. Pagar impostos, mais impostos, obedecer as leis de trânsito, limpar seu terreno, mais impostos, etc, sob pena de sofrer sanções como pagar altíssimas multas, perder carteira de habilitação, ficar inscrito no SPC, pagar altíssimos juros.

    Mas os serviços públicos de péssima qualidade, o desperdício de dinheiro público, a corrupção, a postura indevida dos agentes públicos não são motivos para que o político responsável também sofra sanções DETERMINADAS EM LEI.

    E quando um agente político é investigado e suas contas reprovadas por sua postura indevida PERANTE A LEI, por um Tribunal de Contas, políticos do mesmo gabarito resolvem absolvê-lo pela justificativa de que o crime não foi tão grave. Como assim?

    Esses vereadores que votaram a favor desse parecer infundado são uma vergonha!!!

  4. O Valdir faz parte do problema.
    Uma coisa não tem nada a ver com a outra.
    No caso do Maurício os advogados não conseguiram convencer o tribunal da necessidade dos gastos ilícitos.
    Na última reunião Lucas Barone revelou que as contas do Teruo foram aprovadas porque o município vivia uma epidemia de dengue, então o investimento com publicidade foi justificado. por isso foi aceito

  5. Kkkkkkkkkkk na época do Teruo, esse Barone era neném e nem devia morar aqui. 2013 era o RL. E outra, acordem. Vcs acham que o japonês ia se sujar por tão pouco, que é o valor dessa reprovação? 10 mil reais. […] Me erra!

  6. Retratação
    Queiram desculpar. Interpretei mal a fala do Barone. Não tem nada a ver com o Teruo.
    Foi mal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.