Os paraquedistas estão de volta

Publicado em 09 de junho de 2018

Com a aproximação de mais uma eleição, nos próximos dias nossos céus ficarão povoados de aeronaves, encarregadas de despejar os famosos paraquedistas.
Em 2014 mais de 200 candidatos a deputado estadual e mais de 100 candidatos a deputado federal tiveram votos em Paranavaí.
O prejuízo, que já é histórico, foi grande. Por conta disso, como exemplo, em 2014 Roberto Picorelli, o Pó Royal (estadual) e Teruo Kato (federal) deixaram de ser eleitos.
O momento delicado que vivemos traz consigo a oportunidade de revermos conceitos & práticas. A maioria dos paraquedistas que tiveram votações expressivas na Cidade foram trazidos por interesses pessoais, em troca de favores ou de cargos.
Seja como for, candidatos, ou cabos eleitorais receberam votos de confiança e, agora é hora de prestarem contas.
A maioria não precisa se dar ao trabalho, pois não trouxeram uma pá de cal para o Município. Outros, compareceram com merrecas, na verdade, sobras, restos de grandes benefícios que levaram para suas bases, conseguidos com a “ajuda” de “judas” que só tiveram olhos para seus umbigos.

Alda

2 comentários sobre “Os paraquedistas estão de volta

  1. QUANTO VALE O SEU VOTO?
    As próximas eleições trarão um desafio adicional para a ainda jovem democracia brasileira. Além da escolha do presidente da República, de novos governadores, senadores e deputados estaduais e federais, estará em jogo a vitalidade do próprio sistema democrático. A crise política que dominou o noticiário ao longo de 2017 alimentou um sentimento de desconfiança e descrédito em relação aos políticos e à política de um modo geral. Nos últimos meses, aumentou a campanha defendendo o voto nulo nas eleições de 2018 o que vai na contra mão do dever e do exercício da cidadania que é o ato de votar e depositar a confiança em um representante que ele escolhera para representar sua comunidadade nas esferas estadual e federal,não podemos esquecer do politico garçom que vem com o pires trazendo migalhas e depois de eleito desaparece.
    Precisamos passar o Brasil a limpo em outro caderno e jogar ou queimar o velho caderno que foi borrado por passagens de corrupção e flagelo do Povo Brasileiro que já não se ilude com pão e circo.

  2. Se desejamos que o povo seja ouvido e que esses políticos entendam que o poder emana do povo, não há outra opção:

    DIGA NÃO A REELEIÇÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.