Parlamentares do Paraná estão entre os piores

Publicado em 16 de abril de 2018

Três congressistas do Paraná, todos do PT, estão entre os piores no Ranking Político, que avalia os 594 parlamentares – 513 deputados e 81 senadores. O pior entre os paranaenses é deputado Ênio Verri (573º lugar). Pela ordem vem depois Zeca Dirceu (537º lugar) e a senadora Gleisi Hoffmann (513º lugar).
A pontuação dos políticos é definida de acordo com os dados que obtidos sobre gastos, assiduidade, fidelidade partidária e processos judiciais. Considera-se como válidas as informações vindas de fontes oficiais, como sites governamentais e de veículos de mídia de primeira linha. Além disso, são acompanhadas as votações mais importantes, e pontuados os políticos de acordo com sua qualidade legislativa. O valor das leis analisadas é definido por um Conselho de Avaliação de Leis, levando em conta o quanto elas ajudam ou atrapalham o País.

Alda

9 comentários sobre “Parlamentares do Paraná estão entre os piores

  1. Se esqueceram que foram eleitos para Deputados e não manifestantes.
    Gleise a anos não deve ser vista no congresso, vive de manifestações.
    Enio Verri também.
    Zeca Dirceu nunca mais ouvi falar,

    • ja estamos pondo medo e bom mesmo ter respeito pelos nossos parlamentares apresenta os melhores de vcs. ja estamos encomodando isso é bom sinal. outubro ta chegando nos vemos la ..

  2. Discordo do colega quando afirma que esses parlamentares esqueceram da população, pois é só procurar se informar um pouco e reconhecer o trabalho que eles realizam. Na ALEP, no congresso ou no Senado a bancada do PT vem votando em defesa dos interesses da classe trabalhadora, ou seja, do lado da população que mais precisa, procurem uma lista e vejam entre todos os parlamentares do Paraná quem votou a favor da terceirização, da PEC dos gastos, da reforma trabalhista, do engavetamento das denuncias contra o Temer e também aqueles que declararam antecipadamente voto favorável à reforma da previdência, portanto essa pesquisa serve apenas para revalidar a frase popular de que: “os últimos são os primeiros”.

  3. Acho que a imprensa de Paranavaí deveria buscar se pautar com responsabilidade, trazendo a informação por completo. Fazer sensacionalismo com um ranking onde os políticos ganham pontos só quando votam a favor do TEMER é fácil. Enquanto esses deputados e a senadora votam a favor do POVO e são escrachados, muitos políticos paranaenses tem engordado suas poupanças votando a favor do vampiro e do interesse dos banqueiros. Jornalismo se faz com RESPONSABILIDADE!

  4. O Ranking Político é feito para projetar positivamente parlamentares alinhados ao projeto liberal instalado com o golpe de 2016. São bem avaliados os que votaram a favor do criminoso impeachment da presidenta Dilma, que votaram a favor da reforma trabalhista, que precarizou as contratações e as condições dos trabalhadores e os parlamentares que são a favor da reforma da Previdência. Ou seja, são bem avaliados todos os parlamentares alinhados à camarilha que tomou o Palácio do Planalto de assalto, há exatamente dois anos.

  5. Quem afere os critérios de pesquisa?

    Um site chamado “Ranking dos Políticos” se declara classificador de parlamentares, do melhor para o pior. Como garantia da fidelidade de seus dados, o site alega que usa informações oficiais e que os pontos ganhos ou perdidos, atribuídos por critérios incertos, estão documentados. Os parlamentares são avaliados nos quesitos: gastos, assiduidade, fidelidade partidária e processos judiciais.

    É muito simples avaliar um(a) parlamentar pelo consumo da cota de gastos do mandato. Os gabinetes mais econômicos são os mais bem classificados, segundo os critérios de economicidade do site. Já no quesito “Qualidade Legislativa”, em que o site classifica o parlamentar segundo seu voto em determinadas propostas, o critério de avaliação torna-se absolutamente incompreensível.

    Segundo o Conselho de Avaliação do site, a análise dos votos dos parlamentares leva em conta, principalmente, sua contribuição para o combate à corrupção, aos privilégios e ao desperdício de dinheiro público. Sem qualquer clareza, encontram-se parlamentares que votaram contra a reforma trabalhista, a terceirização e a reforma do Ensino Médio e, por isso, receberam pontuação negativa. Já quem votou a favor dessas matérias, recebeu pontos positivos. Ou seja, o critério foi a/o parlamentar ser a favor, ou contra.

    Ao votar sim, ou não, na reforma do Ensino Médio, por exemplo, qual a contribuição do voto da/o parlamentar para o combate à corrupção, aos privilégios e ao desperdício de dinheiro público? A mesma pergunta se aplica para as demais votações das propostas analisadas pelo site. Por que um parlamentar que votou a favor da reforma trabalhista recebe pontos positivos, e um que votou contrário, recebe pontos negativos? Qual é o critério para atribuir essa pontuação?

    A despeito da tendência ideológica do site, haja vista sua formação, o verdadeiro problema dessa fonte de informação é o critério avaliativo conforme o espectro ideológico a que pertença a/o parlamentar. Pior que a existência de um canal de informação tendencioso e incorreto, é saber que existem veículos de comunicação que utilizam dados absolutamente questionáveis para produzir matérias jornalísticas. É como assinar um atestado de descredibilidade.

  6. Interessante, pois se o congresso tem 594 deputados a frente deles tem muita gente…. ridícula esta noticia com intenções que deste blog é fácil saber.

    • A frente tem muita gente que é bem pior, temos certeza disso. Sabemos que eles estão presentes em nossa região e que contribuíram e muito com nossa cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.