Fake tenta ridicularizar vereador

Publicado em 08 de fevereiro de 2018

“Estou querendo ser menos democrático e mais prático”. A frase, no contexto em que foi dita, não deixa dúvidas de foi um ato falho de quem a pronunciou. Em vez de “menos democrático”, o correto seria “menos burocrático”. Mas o áudio, de 44 segundos, de mensagem de whatsApp, foi encaminhado a este blog através de um e-mail, ao que tudo indica, fake. No lugar destinado a colocar o “assunto” do e-mail, o remetente cravou: “lucas barone (sic) não quer ser democrático”. Escrito desta forma mesmo, com nome próprio iniciando em minúsculas. Procurado, Barone confirmou a autenticidade do áudio e disse que ele a enviou à secretária municipal de Educação, professora Adélia Paixão.
A intenção do remetente é clara: ironizar o vereador, provocar chacota e ridicularizar Barone, que explicou o contexto da gravação e mandou mais áudios e mensagens de texto para comprovar o que estava dizendo.
“Eu não sei se foi ela que passou isso, mas eu tive a conversa com ela no whats privado meu e dela. Se ela não te passou, passou pra alguém que te passou. E se ela não fez isso, ela tem que tomar cuidado, porque alguém esta hackeando o celular dela e estas informações chegaram até vocês”, disse ele ao repórter. Mas, na entrevista, ele acaba se traindo a deixa transparecer, claramente, que responsabiliza a secretária Adélia Paixão pelo que chama de “desrespeito ao Legislativo.

Desconto-na-mão

Um comentário sobre “Fake tenta ridicularizar vereador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.