“É preciso romper com a forma tradicional de fazer política”

Publicado em 31 de maio de 2016

César Alexandre (PT) – quarto entrevistado da série


Taturana – Que razões levaram você a colocar seu nome à disposição para disputar a Prefeitura de Paranavaí?
César – Nasci em Paranavaí, desde jovem participo de movimentos comunitários, instituições sociais e estudantis, fui eleito vereador em 2004, tenho formação superior em Ciências Contábeis, História e pós-graduação em Ciências Sociais (mestrado e concluindo o doutorado). Foi Paranavaí que me deu experiência na atuação social e política, me oportunizou a formação educacional e me possibilitou o exercício de 30 anos de funcionalismo público, na Policia Militar, na Copel e como professor universitário. Quero retribuir tudo aquilo que a cidade me deu, oferecendo a ela uma alternativa de uma nova forma de administração municipal, que priorize, sobretudo o diálogo e as ações para os que mais precisam do governo, que necessitam de saúde, trabalho, educação, infraestrutura, entre outros.

Taturana – Se o seu nome for homologado pela convenção do seu partido, quais as principais propostas que vai levar ao eleitor?
César – O nosso Plano de Governo está sendo elaborado a partir do debate diário com a comunidade de Paranavaí. Mas, temos algumas bandeiras já assumidas pela equipe, tais como: o Orçamento Participativo nos Bairros, o Hospital Municipal, um novo modelo para o setor de Infraestrutura com maior capacidade de dar respostas mais rápidas para problemas urbanos e rurais de nossa cidade e, uma preocupação com uma ação mais efetiva do município a fim de incentivar a geração de empregos mais qualificados, favorecendo os novos empreendedores externos, mas, sobretudo incentivando os empresários locais.

Taturana – De onde sairão os recursos para colocar em prática as suas propostas?
César – Os recursos virão da reestruturação da máquina pública da prefeitura, buscando maior eficiência a um custo menor, como por exemplo, diminuindo o número de secretarias e dos cargos comissionados. Desta forma, priorizaremos os recursos municipais para as áreas mais necessárias. Vamos também captar recursos junto aos programas federais e estaduais através da elaboração de projetos consistentes e viáveis. Outra forma de captação de recursos serão as emendas parlamentares, obtidas junto aos deputados federais e senadores para as áreas prioritárias do município.

Taturana – O que o leva a acreditar que poderá vencer as eleições deste ano?
César – A população quer renovação, sobretudo na forma de fazer política e de administrar a cidade. Quer uma administração que dialogue com toda a sociedade, que planeje um “Paranavaí para o futuro e para todos”. Para isso, é preciso romper com a forma tradicional de fazer política de nossa cidade, do “toma lá da cá”. Entendo que o nosso nome se enquadra nesse perfil de “renovação e experiência”. Porém, essa será uma escolha de competência exclusiva do eleitor.

Taturana – Para sua eleição conta com quais apoios?
César – O principal apoio vem do conjunto da população, por isso temos conversado e recebido o apoio de diversas lideranças comunitárias, religiosas e setoriais de toda cidade. No tocante a figuras públicas, destacamos o apoio do suplente de deputado estadual e atual vereador Pó Royal, do empresário Paulo Pratinha e dos vereadores Josival Moreira e Leonildo Martins.

Taturana – Esta será sua terceira candidatura a prefeito. Em caso de derrota você desiste ou vai continuar tentando?
César – Não condiciono a minha participação na sociedade a vitórias ou derrotas, estarei sempre à disposição de minha cidade em qualquer nível de participação social e política.

Taturana – Em nossa última entrevista, recentemente, você declarou que acreditava que a presidente Dilma Rousseff (PT) teria condições de recuperar sua popularidade. Isto não aconteceu e os últimos acontecimentos da política nacional abalaram o PT. Como você pretende lidar com esta situação na campanha eleitoral?
César – A cada dia que passa a população confirma que o afastamento da presidente Dilma foi fruto de um Golpe de Estado, nos moldes da instauração do Estado Novo em 1937 e da Ditadura Militar em 1964. As gravações vazadas recentemente, de conversas envolvendo os senadores Romero Jucá e Renan Calheiros confirmam a tese do Golpe e apontam para a possibilidade de um possível “acordo” entre os poderes para o encerramento das investigações da operação Lava Jato visando absolver Eduardo Cunha e os ministros nomeados por Michel Temer, envolvidos nas denúncias de corrupção. As medidas iniciais do governo interino de Temer apontam para cortes profundos nas áreas sociais, de educação e de saúde pública, indicando que mais uma vez a população pobre arcará com a maior parte do ônus da crise. Assim, a população começa a entender o que representará o impedimento da presidente Dilma em termos de retrocessos para o país. Com relação às eleições municipais, acredito que o eleitor definirá o seu voto a partir da análise de cada candidato, observando principalmente sua honestidade, a lisura em relação a sua vida pública, pessoal e profissional. Votará no candidato a prefeito mais preparado e que oferecer propostas viáveis para os problemas que a cidade apresenta, independente do partido a que pertença, já que praticamente todos os partidos apresentam envolvidos nas denúncias de corrupção no país. Assim, a principal influência da crise política nacional sobre as eleições municipais será a de tornar o eleitor mais exigente em relação à escolha de seu candidato, o eleitor votará na pessoa e não no partido, levará em consideração aspectos como a honestidade, a capacidade e as propostas viáveis apresentadas para cidade.

Taturana – Este desgaste do PT pode provocar mudanças em seus planos? Você poderia sair candidato à vice em outra chapa?
César – Não serei candidato a vice-prefeito em respeito ao grupo que nos acompanha e que, ao longo dos anos vem construindo um projeto novo para uma “nova Paranavaí”. Embora, respeite os demais pré-candidatos.

Taturana – A mídia vem divulgando nos últimos meses que você e Maurício Yamakawa poderiam estar juntos na eleição. Tendo ele anunciado sua provável candidatura deverá atrair apoios que você tinha como certos. Que reflexos este fato pode ter em sua campanha?
César – As eleições são dinâmicas e pouca coisa está consolidada em termos de coligações políticas para eleição municipal em Paranavaí. Cada movimento de um grupo, provoca movimento de outro. Por isso, é muito cedo para dizer quem estará junto com quem. Estamos construindo um grupo para disputa das eleições em Paranavaí que não traga os velhos vícios políticos de nossa cidade, mas, que construa um projeto de governo para uma “nova Paranavaí”, mais participativa, mais inclusiva e mais eficiente na execução dos serviços públicos. Aqueles que entenderem que este é o melhor caminho e quiserem aderir voluntariamente ao projeto, serão bem vindos ao grupo.

Alda

14 comentários sobre ““É preciso romper com a forma tradicional de fazer política”

  1. Pingback: Pré-candidatos no Blog do Taturana – César Alexandre é o quarto entrevistado | Joaquim de Paula

  2. Foi muito claro e seguro nas respostas, demonstrou preparo e conhecimento dos problemas da nossa cidade, com certeza será um grande prefeito

  3. Concordo na mudança de ideias, desde que em primeiro venha a sociedade num todo e não interesses próprios.
    Eu particularmente não concordo com a filosofia do Candidato, então não terá meu volto, (não nesse momento).

    😀

  4. Demonstra ter preparo para estar na prefeitura. Até agora melhor nome que vem se destacando, independente de seu partido, pois a crise política que está no Brasil, não é por causa do PT e sim de todos os partidos, além disso, PSDB não tem nenhum santo! Basta apenas um pouquinho de leitura e interpretação!! No momento já tem meu voto César Alexandre.

  5. Pergunta feita num blog: existe, ou não, um 13 salário? Afinal, um ano tem 12 meses. Seriam os governos e empregadores tão bondosos, para pagar um salário extra todo ano?
    O que se perdeu no tempo é que, caso um mês tivesse 4 semanas exatas, de 7 dias cada, um ano teria 13 meses! Basta multiplicar 13x4x7, que dá 364 dias.
    Mas, um mês não tem 4 semanas exatas. Sobram de 1 a 3 dias em cada. Ou seja, todo mês, o funcionário trabalha alguns dias a mais, mas recebe apenas no final do ano.
    Prorrogar o pagamento e, aplicar o dinheiro, resulta num belo rendimento de juros ao governo e aos administradores de folha de pagamento. Detalhe que o partido que se diz dos trabalhadores nunca questionou.

  6. Professor Carlos,

    Cesar Alexandre apresenta, na minha opinião, a melhor alternativa para a cidade de Paranavaí, pois além de ter todos os pré requisitos para ser um Gestor Público, possui disposição e muito conhecimento. Cesar, tem mostrado sabedoria e paixão pela Educação, e por isso acreditei no seu projeto de transformação, me sinto tranquilo em apoiá-lo, pois sei do seu compromisso e da sua seriedade e honestidade. Precisamos de um Projeto Novo e uma nova forma de fazer política, que não seja clientelista, por isso acredito nesse projeto que é, ao meu ver, a mais adequada para os tempos atuais!

    • César não ganha […] Não conseguiu se quer responder as simples perguntas do entrevistador.
      Além do mais, que capacidades demonstra ter?
      Porque é melhor que os outros candidatos?
      Tem que ser […]. Enrola, enrola e não responde nada com nada.
      Critica Temer por fazer cortes nos orçamentos, quando na verdade, deveria reconhecer a coragem de Temer. Devia saber que não é fácil um politico tomar medidas impopulares como essa, extremamente necessária diante da situação que o PT e Dilma deixaram o país. Mas, todos sabemos […] ja é esperada.
      Diga-me com quem tu andas, que eu te direi que és.
      […]

    • Quais seriam esses pré requisitos para ser um bom gestor, que você diz Cesar apresentar?

  7. cesar é pt e pt acabou no brasil,passou a fase […].qualquer outro é melhor do que quem está no pt, […] e o titulo de cidadão honorario que ele deu no seu mandato é pra tirar pica-pau do oco.chega.

  8. O Cézar é muito bom.. Eu deixaria as chaves da minha empresa para ele, se ele trocasse de partido. Fora PT.

    • Sou um dos petistas mais antigos de nossa cidade, e não entendo o porque tanto ódio pelo PT. Moro em Paranavaí a mais de cinquenta anos e, não vejo o porque de algumas pessoas ainda expressarem essa aversão pelo partido dos trabalhadores. Se for por questões ideológicas eu entendo um distanciamento que for, mas, isso cheira ódio e, com ódio, não se constrói nada. EXISTE CORRUPTO NO PT, isso agente não pode evitar, mas, se as pessoas tiverem acesso a informaocão, vão chegar a conclusão que; dos grandes partidos o PT, é O QUE TEM MENOS CORRUPÇÃO, É Só PESQUISAR, NÃO PRECISA ACREDITAR EM MIM. QUANTO ao pré-candidato CESAR ALEXANDRE, é o MEU CANDIDATO, até por ser do meu partido e, eu o conheço, desde criança. Sou suspeito em dizer que é o melhor candidato que temos, pelo menos, e o único, que pode dizer que representa a vontade da maioria de nossa cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.